Micose das unhas: como identificar e tratar!

Anelaria




A micose das unhas é provocada por fungos e pode acometer pessoas de todas as idades. No entanto, nos idosos e em pessoas com diabetes, as micoses fúngicas exigem cuidados ainda mais especializados. Nesses casos, além de causar dores, desconforto e dificuldade para andar a doença ainda pode elevar o risco para outras complicações.

Tendo isso em vista, vamos explicar neste post o que é a micose de unha dos pés, como ela surge e quais são os sintomas. Conheça, também, os melhores tratamentos e as medidas de prevenção para evitar que esse tipo de micose prejudique seu bem-estar. Boa leitura!

O que é micose das unhas?

Oficialmente conhecida como onicomicose, essa infecção é resultante da invasão de fungos na região da unha e pode provocar alterações na cor, na textura e no formato da unha. Embora também possa surgir nas unhas das mãos, essa doença é mais comum nos pés.

A micose de unha do pé pode ser contraída de várias maneiras, principalmente, na ausência de alguns cuidados. Por isso, o ideal é sempre lavar bem os pés com água abundante e de preferência com sabão de ação antisséptica. Também é preciso secar bem os espaços entre os dedos, já que a umidade favorece a ação dos fungos.

Principalmente, em pessoas idosas ou diabéticas, esses cuidados precisam ser redobrados. É igualmente importante evitar andar descalço em áreas alagadas por chuvas, em regiões próximas a piscinas ou em banheiros públicos. Esses lugares podem estar contaminados por diferentes tipos de germes, inclusive pelos fungos causadores de micoses.

Como identificar o problema?

A onicomicose pode ser identificada por diferentes sinais: unhas quebradiças, com aspecto esfarelado e mais esbranquiçadas ou amareladas, são características evidentes de ação fúngica. Dependendo da gravidade da situação, a unha pode ficar dolorida, deformada ou se descolar da pele com maior facilidade.

Porém, ainda que esses sinais sejam indicativos de micose de unha, a orientação é procurar um profissional de dermatologia para avaliar o quadro. A identificação do tipo de fungo é fundamental para que o médico possa dar um diagnóstico preciso e adotar a conduta terapêutica mais apropriada em cada caso.

Principais sintomas

Os sintomas de micose de unha podem ser diversos. Entretanto, alguns desses sinais são mais fáceis de serem notados. Observe quais são:

  • mudança da cor da unha, geralmente para amarela ou esverdeada;
  • alteração da espessura ou da textura da unha;
  • surgimento de manchas esbranquiçadas;
  • leve descolamento de parte da unha;
  • dor ou aumento da sensibilidade;
  • mau cheiro;
  • coceira.

Como se pega micose nos pés?

A micose do pé é causada por um fungo que cresce na camada da pele. São conhecidos como dermatófitos e existem diferentes espécies que podem infectar a pele do pé. Por exemplo, algumas das espécies que podem causar essa condição incluem trichophyton mentagrophytes e trichophyton tonsurans.

Eles tendem a ocasionar infecções superficiais devido às enzimas que consomem as proteínas da pele. Além disso, desenvolver em ambientes considerados quentes, escuros e úmidos. É por isso que o pé se torna uma vítima, pois proporciona um microambiente ideal com o uso de sapatos fechados.

O que o sapato fechado faz é reter o calor do corpo, proteger os fungos da luz solar e evitar que o suor gerado evapore. Isso fornece o ambiente ideal e, portanto, o início da micose a pé. É importante notar que pode se espalhar facilmente e é por isso que você pode obtê-lo apenas tocando o pé de uma pessoa que o possui.

No entanto, na maioria dos casos, isso vem de andar descalço em superfícies contaminadas. Isso permite que o fungo cresça em um sapato fechado e faça com que se espalhe por todas as partes do pé.

É possível também que a micose infecte animais e, então, se um animal de estimação for infectado — principalmente um novo gatinho ou cachorrinho — se junta a uma família, os integrantes da família ficam em risco.

A micose é contagiosa?

Entre as 300 espécies de fungos que possuem potencial para infectar pessoas, a micose é uma das mais recorrentes. A micose dos pés pode ser transmitida entre animais e humanos e é altamente contagiosa. As crianças são mais suscetíveis à micose e também a outras erupções cutâneas.

Indivíduos que já nascem com um baixo sistema imunológico naturalmente ou por possuírem doenças como AIDS/HIV ou utilizarem determinados medicamentos, incluindo quimioterápicos ou corticosteróides, também têm um grande risco de infecções fúngicas. Por mais que a micose seja bastante incômoda, raramente vira um grande problema.

Quais são os fatores de risco?

Os atletas são geralmente mais predispostos ao pé de atleta, pois o fungo muitas vezes está presente em locais úmidos, como pisos de banheiros. Eles também têm tendência à micose na virilha, conhecida como jock coceira. Jovens e homens possuem maior risco de apresentarem micose nos pés.

A micose é comum em qualquer tipo de clima, inclusive no inverno. Qualquer pessoa pode pegar a infecção. Indivíduos com micose nos pés, geralmente, também desenvolvem nas palmas das mãos ao encostarem em uma região afetada. Além disso, os hábitos relacionados à saúde e outras ações podem maximizar o risco de infecções fúngicas e micoses de desenvolverem. São esses:

  • lesões menores de pele e unhas;
  • não higienizar constantemente as mãos, quando se aproximar de algo ou alguém que tenha sido exposto a algum fungo;
  • ficar com umidade na pele por muito tempo — por exemplo, ir a piscina e depois de sair não se secar corretamente;
  • ter contato mais próximo com outros indivíduos que tenham micose, como compartilhar o mesmo banheiro ou ficar um determinado tempo em um local com alguém que esteja infectado.

É possível prevenir a micose das unhas?

Os cuidados com os pés e com as unhas são essenciais para a saúde. Pensando nisso, listamos algumas sugestões para prevenir a micose. Confira:

  • corte e apare bem suas unhas;
  • pulverize o interior dos sapatos e tênis com um spray higienizador;
  • não compartilhe toalhas de banho ou meias;
  • faça tratamento para micoses nos pés já existentes;
  • prefira sapatos confortáveis e com boa qualidade;
  • não compartilhe materiais de manicure ou pedicure;
  • coloque seus calçados ao sol antes de usá-los novamente;
  • crie o hábito de tirar os sapatos, ocasionalmente, algumas vezes ao dia;
  • opte por meias de algodão, pois esse tecido absorve mais o suor dos pés e impede que eles fiquem úmidos;
  • renove seu estoque de calçados, pois calçados velhos podem estar contaminados com fungos;
  • tente reduzir a ansiedade, pois o excesso de preocupação pode diminuir a defesa imunológica;
  • lave bem as mãos após tocar uma unha infectada, pois o fungo pode contaminar outras unhas;
  • utilize antifúngicos em spray ou pó para pulverizar seus pés, principalmente nos dias mais quentes.

Como tratar a onicomicose?

Em linhas gerais, o tratamento para micose das unhas é feito com aplicações de esmaltes antifúngicos ou pelo uso de medicações via oral, ambos receitados pelo dermatologista. Porém, em alguns casos, há tratamentos caseiros que auxiliam no combate desse tipo de problema.

Banhar as unhas com chás específicos, fazer escalda-pés e aplicar pomadas ou loções com produtos naturais também pode auxiliar no tratamento. No entanto, convém salientar que essas terapias caseiras não substituem uma avaliação clínica, sobretudo em diabéticos ou em pessoas com idade mais avançada.

O período do tratamento depende do nível de gravidade da lesão fúngica e das condições de saúde de cada indivíduo. Pessoas com doenças autoimunes ou com defesa imunológica comprometida são mais vulneráveis a esses tipos de infecções. No entanto, as lesões mais simples podem ser recuperadas entre uma e quatro semanas, geralmente.

Vale ressaltar que a cura definitiva pode exigir um longo período de tratamento e só pode ser confirmada mediante um exame com cultura negativa para fungos. Para melhor compreensão do tema, destacamos as alternativas de tratamento mais utilizadas para micose das unhas. Veja quais são!

Medicações

Normalmente, as medicações de uso tópico são mais indicadas para onicomicoses mais superficiais, sendo recomendadas para aqueles tipos de fungos que causam manchas brancas nas unhas.

Porém, o tratamento com remédios orais são mais recomendados, pois são mais eficazes para outras micoses também. Para obter melhores resultados no combate à onicomicose, alguns dermatologistas prescrevem tanto medicações orais, quanto tópicas.

Intervenção cirúrgica

Se a micose das unhas apresentar sintomas mais graves como o descolamento parcial e infecção do tecido que envolve as unhas, pode ser necessário removê-las. Dependendo do quadro, essas abordagens cirúrgicas são opções de tratamento para condições em que a terapia oral não traz bons resultados.

Como você pôde notar, as infecções fúngicas podem surgir em qualquer pessoa, mas oferecem riscos maiores para diabéticos e idosos. Nesses pacientes, exige-se maior cuidado, já que as doenças crônicas favorecem o surgimento de lesões, principalmente nos pés. A pele mais ressecada também contribui para fissuras, o que torna os idosos mais suscetíveis à invasão bacteriana.

Independentemente da idade, o tipo de calçado influencia bastante o conforto dos pés, evita a quebra ou traumas nas unhas e reduz a contaminação pelos fungos que causam micose de unha dos pés. Por isso, além dos cuidados aqui descritos, o ideal é optar por calçados confortáveis, leves, sem costura interna e anatômicos para assegurar maior bem-estar e mais saúde para os pés.

O nosso post foi útil para você? Gostaria de deixar sua opinião? Então, deixe seu comentário abaixo!



Anelaria

FACEBOOK | INSTAGRAM


Fonte: https://doctorshoes.com.br/blog/saude/micose-de-unha-dos-pes/

Compra garantida pelo Mercado Pago


  • Sem produtos na sacola.
Iniciar conversa
Se precisar, 🔥